segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Prova prática Detran MA – como é o percurso de moto e de carro

Para quem está tirando a CNH do Detran Maranhão no ano de 2020 os principais vilões do processo de habilitação são as provas de carro e moto. Para quem vai fazer as provas no Detran Maranhão vale a pena ficar de olho nas recomendações que podem ser decisivas para você passar pelas regras ríspidas dos avaliadores.

Passo a Passo do percurso de moto

  • · Inicia a prova a partir do momento que baixa a viseira (não esqueça de baixá-la)
  • · Liga a moto com o pé direito com o freio apertado e abaixa o pezinho (não esquecer disso também)
  • · Inicia na meia embreagem e vai até o pare.
  • · Passe pela rampa, se preferir em primeira marcha para ser mais rápido.
  • · No primeiro pare lembre-se de averiguar se o próximo condutor já terminou a rampa
  • · Para passar pela rampa o segredo é ir rápido para não preencher o equilíbrio
  • · Não precisa parar no próximo pare, já que é só para quem está voltando
  • · Vem o cone
  • · O Oito (o segredo é fazer curvas abertas)
  • · Depois do oito entra no labirinto (não esqueça de dar a seta ao entrar)
  • · Entre no oito novamente
  • · Vem o cone novamente
  • · Dê o pare e lembre-se de verificar se o próximo candidato já terminou o percurso
  • · Passe pela rampa
  • · Desliga a moto, desce e sai empurrando.
  • · Agora o avaliador deverá dar a sua nota, se aprovado ou reprovado.


Passo a passo do percurso de carro

  • · Entre no carro, coloque o sinto de segurança e verifique se os demais estão também com cinto de segurança (inclusive o avaliador);
  • · Vá até o local da baliza. Faça a baliza dentro de um minuto e meio e não se esqueça que é preciso voltar para a marca de onde inicio o teste para terminar o exame;
  • · Você sairá para a rua e deverá seguir as coordenadas do instrutor bem como as regras de sinalização das ruas tal como aprendeu na autoescola;
  • · Em determinado momento o condutor será chamado para parar e então o próprio avaliador o levará de volta para o pátio do Detran MA, junto com os demais participantes da prova – se o carro tiver outros alunos da mesma autoescola.

As leis de trânsito brasileira mais infringidas por recém-condutores

Conduzir no Brasil não é para todos. Com mais de 1 milhão de quilômetros de Rodovias, muitas das quais não estão pavimentadas, o tamanho do Brasil não deve ser subestimado. Dependendo de seus planos de viagem, você vai se deparar com uma variedade de tipos de estrada, desde as rodovias trancadas em grade de São Paulo para as estradas de terra selvagem na região amazônica.

Se você está planejando uma viagem de estrada através do Brasil, ou está apenas olhando para alugar um carro para uma viagem de um dia para uma praia distante, há algumas coisas que você deve saber antes de ficar ao volante no Brasil.



Requisitos para dirigir no Brasil


Estrangeiros com mais de 18 anos são autorizados a conduzir no Brasil por até 180 dias se tiverem uma licença válida de seu país de origem.

Regras da estrada


Ao conduzir no Brasil, esteja ciente das regras locais e fique de olho nos sinais de estrada, que serão todos em português. Porque muitos brasileiros não falam Inglês, você deve aprender algum vocabulário básico carro para a sua viagem. Se possível, Pratique falar com alguém que está familiarizado com a língua, já que muitas palavras como carro (carro) e rua (rua) não são pronunciadas da maneira que parecem ser escritas.

  • Limites de velocidade: o limite de velocidade no Brasil é tipicamente 30 quilômetros por hora (18 milhas por hora) em áreas residenciais, 60 km / h (31 mph) em avenidas principais, e entre 80 e 110 km / h (50 e ,60 mph) em estradas principais.
  • · Sinais de trânsito: os sinais de trânsito no Brasil seguem padrões internacionais, mas estejam atentos aos sinais de stop, que serão escritos em português como "PARE"."
  • · Lombadas: muitas cidades do Brasil usam lombas em português. Eles são geralmente, mas nem sempre, pintados com riscas brilhantes. Deve haver sinais de aviso antes do galo, mas ocasionalmente pode não haver.

  • · Cintos de segurança: é obrigatório para todos os passageiros usar um cinto de segurança no Brasil.
  • · Álcool: o Brasil tem tolerância zero para conduzir sob a influência do álcool. O limite de concentração de álcool no sangue (BAC) é .02% - equivalente a uma cerveja ou um copo de vinho.
  • · Portagens: muitas rodovias no Brasil são financiadas e mantidas por uma empresa privada usando um sistema de portagem. As portagens podem variar entre 5 e 20 Reais Brasileiros, dependendo do seu carro.
  • · Estações de gás: existem cinco tipos de combustível vendidos em postos de gasolina no Brasil: gasolina regular, gasolina premium, etanol, diesel e gás natural, por isso certifique-se de que você está enchendo com o combustível certo para o seu carro. Não há estações de auto-serviço no Brasil, por isso um atendente vai ajudá-lo.
  • · Telemóveis: sem um dispositivo sem mãos, pode ser multado por usar um telemóvel, mesmo que esteja sentado no trânsito.
  • · Separação da faixa de rodagem: motociclistas muitas vezes fazem o seu caminho entre faixas quando o tráfego chega a uma parada e mesmo quando ele está fluindo em velocidade regular, que é conhecido como separação da faixa de rodagem.
  • · Em caso de emergência: se algo acontecer, marque 198 para a polícia estadual e 192 se precisar de uma ambulância.

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Português para concurso público. O que estudar?


concurso-publico

A disciplina de Língua Portuguesa está presente em todas as provas de concursos públicos, por isso, é essencial dominá-la para a sua aprovação. As provas de português para concurso estão cada vez mais interpretativas. Isto significa que a maioria das questões contam com um texto base, em que o candidato deve analisar as relações de sentido.
Listamos os principais assuntos que você deverá conhecer:
  • Interpretação de textos,
  • Concordância verbal e nominal,
  • Regência verbal e nominal,
  • Novo acordo ortográfico e
  • Crase.
Agora, vamos explicar cada um deles, confira logo abaixo:
  1. Interpretação de textos
Para ser aprovado em um concurso, você tem que ser capaz de interpretar e identificar diversos gêneros textuais (textos científicos, jornalísticos, de opinião, entre outros).
Porém, não basta encará-los de forma literal: as organizadoras cada vez mais pedem que os candidatos saibam ler as entrelinhas, extraindo significados mais profundos sobre os temas.
Charges e quadrinhos, os chamados textos gráficos, também estão cada vez mais presentes nos concursos públicos. Por isso é muito importante que você tenha domínio da linguagem não verbal para conquistar sua vaga no serviço público.
Não podemos esquecer também das figuras de linguagem: metáforas, hipérboles, ironias. Você deve ser capaz de identificar cada uma delas em diferentes trechos de textos e questões de provas de concursos públicos.
  1. Concordância verbal e nominal
Para se comunicar bem é fundamental saber usar os verbos corretamente. O tema está presente em muitas provas de concursos, onde o candidato deve ser capaz de identificar com qual elemento da frase o verbo concorda, se é com o sujeito ou com o objeto.
Já na concordância nominal é necessário compreender como os substantivos da frase se relacionam com os outros elementos, visualizando com qual deles ele concorda. Em resumo, você precisa entender como todos os elementos de uma frase se relacionam e produzem sentido.
  1. Regência verbal e nominal
A regência também trata da relação entre os elementos de uma frase. Porém, ela observa apenas as proposições. Neste tópico você deve prestar atenção aos verbos transitivos diretos, indiretos, bitransitivos.
Com os substantivos acontece o mesmo: eles são acompanhados de diferentes preposições. É preciso identificá-las e entender qual é o sentido que esta regência traz para a frase.
Fique atento, pois a regência pode mudar o sentido de uma frase. Por exemplo: o verbo “agradar” pode ser transitivo direto (agradar alguém) ou indireto (agradar a alguém). Cada regência tem um significado diferente: enquanto a primeira significa fazer carinho, já a segunda dar satisfação a alguém.
  1. Novo acordo ortográfico
Oficialmente em vigor caráter obrigatório desde 2016, o novo acordo ortográfico ainda confunde alguns candidatos. O que mais aparece nas provas é a questão do hífen: ele continua em uso em determinados casos, mas caiu em outros. Por exemplo: anti-higiênico, ecossistema.
Os acentos deixam de existir em determinadas palavras oxítonas e paroxítona, como para (sentido de parar), pelo (substantivo) e pera (substantivo). Também deixam de receber acento as paroxítonas com ditongos "ei" e "oi" na sílaba tônica, como as palavras assembleia e ideia.
E ainda, o acento nas palavras paroxítonas com vogais dobradas também caiu em desuso. Em palavras paroxítonas ocorre a mesma pronúncia em todos os países de língua portuguesa. Os exemplos são as palavras enjoo, voo e abençoo. Por fim, o uso do trema foi abolido, está é a nova grafia de “linguiça”.
  1. Crase
Outro elemento da língua portuguesa que perturba os concurseiros é o uso da crase. Porém, ao acertar uma questão sobre o assunto você com certeza vai sair na frente da concorrência.
A crase é apenas a junção do A da preposição com o A do artigo. Caso esteja em dúvida sobre um A ser craseado, tente substituí-lo por “para a”. Se a troca for possível, há crase. Por exemplo: “você já foi à Bahia?” pode ser reescrito como “você já foi para a Bahia?” sem perda de sentido.
Finalizando, agora que você já tem uma ideia dos principais conteúdos a serem cobrados nas provas, é hora de encarar com muita atenção e disciplina a rotina de estudos. Não esqueça de se manter motivado, não cometa exageros.
Lembre-se: Contar com a ajuda de um curso online com vídeo aula para concurso, plano de estudo para concurso e profissionais especializados em aprovação é um grande diferencial.
Bons estudos!

terça-feira, 6 de agosto de 2019

Quais são as áreas da segunda fase da OAB?

oab-exame-de-ordem

Na segunda etapa do Exame de Ordem você deve escolher uma área antes de realizar a prova OAB 2ª fase. As opções são: Direito Administrativo, Direito Civil, Direito Constitucional, Direito Empresarial, Direito Penal, Direito do Trabalho e Direito Tributário.

Veja os assuntos mais importantes de cada uma das áreas nos tópicos abaixo:

    • Direito Administrativo


    • Conceitos de direito administrativo e conceitos de administração pública.
    • Fontes do direito administrativo.
    • Princípios do direito administrativo.
    • Estrutura da administração pública.
    • Entidades paraestatais (3º setor da economia).
    • Atos administrativos.
    • Serviços públicos.
    • Agentes públicos.
    • Lei 8112 (regime jurídico dos servidores públicos civís federais).
    • Responsabilidade civil do estado.
    • Licitação.
    • Contratos da administração pública.
    • Poderes da administração pública.
    • Lei 8429/92 (lei de improbidade administrativa).
    • Controle da administração pública.
    • Processo administrativo.
    • Bens Públicos
    • Intervenção Estatal na Propriedade

    • Direito Civil


    • Direito Civil e Constituição
    • Início e fim da Personalidade da Pessoa Natural
    • Pessoas Jurídicas de Direito Público
    • Capacidade Civil e Emancipação da Pessoa Física
    • Direito ao Corpo e ao Nome
    • Direito à Imagem e à Privacidade
    • Natureza Jurídica das Pessoas Jurídicas
    • Pessoas Jurídicas de Direito Público Interno
    • Pessoas Jurídicas de Direito Privado
    • Associações
    • Fundações
    • Bens Jurídicos Imóveis
    • Bens Jurídicos Móveis
    • Bens Jurídicos Fungíveis e Consumíveis
    • Bens Jurídicos Divisíveis, Singulares e Coletivos
    • Benfeitorias
    • Bens Particulares e Bens Públicos
    • Requisitos de Existência dos Negócios Jurídicos
    • Requisitos de Validade dos Negócios Jurídicos
    • Requisitos de Eficácia dos Negócios Jurídicos
    • Das Condições
    • Dos Termos
    • Dos Encargos
    • Dos Defeitos dos Negócios Jurídicos
    • Do Erro
    • Do Dolo
    • Da Coação, do Estado de Perigo e da Lesão
    • Da Fraude contra Credores.
    • Invalidade dos Negócios Jurídicos.
    • Prescrição.
    • Suspensão e Interrupção do Prazo Prescricional
    • Decadência.
    • Direito das Obrigações: Modalidades das Obrigações
    • Direito das Obrigações: Transmissão das Obrigações
    • Direito das Obrigações: Adimplemento Direito das Obrigações
    • Contratos: Formação
    • Contratos: Princípios
    • Contratos: Estipulação em favor de terceiros e promessa por fato de terceiros
    • Contratos: Vícios Redibitórios e Evicção
    • Contratos: Compra e Venda
    • Contratos: Prestação de Serviços, Mandato e Empreitada
    • Contratos: Fiança, Doação
    • Contrato de Locação
    • Contratos: Extinção dos Contratos
    • Responsabilidade Civil: Responsabilidade Direta e Indireta
    • Responsabilidade civil: Nexo causal, Ato Ilícito e Dano
    • Responsabilidade Civil: Excludentes de Ilicitude e de Responsabilidade
    • Direito de Família: Casamento (Formas, processo e capacidade)
    • Direito de Família: Casamento (Capacidade, validade e invalidade)
    • Direito de Família: Regime de Bens
    • Direito de Família: União Estável
    • Direito de Família: Extinção e dissolução do casamento
    • Direito de Família: Parentesco
    • Direito de Família: Alimentos
    • Direito de Família: Bem de Família
    • Direito de Família: Tutela, Curatela e Tomada de Decisão Apoiada
    • Direito das Sucessões: Indignidade, deserdação e sucessão legítima
    • Direito das Sucessões: Sucessão Legítima
    • Direito das Sucessões: Sucessão Testamentária
    • Direito das Sucessões: Vocação Hereditária
    • Direito das Sucessões: Petição de Herança e Inventário
    • Direito das Coisas - Teoria da posse - conceito e classificação
    • Direito das Coisas - Efeitos da Posse
    • Direito das Coisas - Aquisição, perda da posse e composse
    • Direito das Coisas - Propriedade
    • Direito das Coisas - Direito de Vizinhança - Somente o início.
    • Direito das Coisas - Direitos de Vizinhança e Direitos Reais
    • Direito das Coisas - Direitos Reais de Garantia
    • Direito das Coisas - Propriedade Resolúvel e Propriedade Fiduciária

    • Direito Constitucional


    • Poder Executivo: eleição, posse, substituição e sucessão do Presidente da República
    • Poder Executivo: atribuições
    • Poder Executivo: responsabilidade do Presidente da República
    • Poder Legislativo: organização do Congresso Nacional
    • Poder Legislativo: processo legislativo
    • Poder Legislativo: processo legislativo ordinário (iniciativa)
    • Poder Legislativo: processo legislativo ordinário (fase constitutiva)
    • Poder Legislativo: emendas constitucionais
    • Poder Legislativo: medidas provisórias
    • Poder Legislativo: estatuto dos congressistas
    • Poder Judiciário: organização do Poder Judiciário
    • Poder Judiciário: disposições gerais
    • Poder Judiciário: organização do STF e STJ
    • Poder Judiciário: competências do STF e do STJ
    • Poder Judiciário: Súmula Vinculante
    • Poder Judiciário: CNJ
    • Organização do Estado: federação brasileira
    • Organização do Estado: criação de estados e de municípios
    • Organização do Estado: repartição de competências
    • Organização do Estado: competências dos municípios
    • Organização do Estado: competências comuns e concorrentes
    • Organização do Estado: competências da União
    • Organização do Estado: intervenção
    • Remédios Constitucionais: Habeas Corpus
    • Remédios Constitucionais: Habeas Data
    • Remédios Constitucionais: Mandado de Segurança
    • Remédios Constitucionais: Ação Popular
    • Remédios Constitucionais: Mandado de Injunção
    • Controle de Constitucionalidade: controle difuso
    • Controle de Constitucionalidade: ADI
    • Controle de Constitucionalidade: ADC
    • Controle de Constitucionalidade ADPF
    • Controle de Constitucionalidade: ADO
    • Nacionalidade
    • Direitos Políticos
    • Direitos e Deveres Individuais e Coletivos: vida
    • Direitos e Deveres Individuais e Coletivos: igualdade
    • Direitos e Deveres Individuais e Coletivos: liberdade
    • Direitos e Deveres Individuais e Coletivos: propriedade
    • Direitos e Deveres Individuais e Coletivos: segurança
    • Fiscalização do Poder Executivo
    • Classificação das normas constitucionais
    • Partidos Políticos
    • Classificação das Constituições
    • Defesa do Estado e das Instituições Democráticas
    • Ordem Econômica e Financeira
    • Ordem social

    • Direito Empresarial


    • Empresa e Empresário
    • Estabelecimento Empresarial
    • Introdução ao Direito Societário
    • Sociedade Simples
    • Sociedade em Comum
    • Sociedade Limitada
    • Sociedade Anônima
    • Recuperação e Falências
    • Propriedade Industrial
    • Títulos de Crédito
    • Contratos Mercantis

    • Direito Penal


    • Princípios constitucionais penais [explícitos].
    • Princípios penais [implícitos].
    • Lei penal no tempo
    • Lei penal no espaço: Territorialidade.
    • Lei penal no espaço: Extraterritorialidade
    • Pena cumprida no estrangeiro - Eficácia de Sentença penal Estrangeira - Contagem de Prazo e outros temas
    • Conflito aparente de normas penais
    • Relação de causalidade. Causas relativamente e absolutamente independentes
    • Crimes omissivos próprios e impróprios
    • Introdução ao conceito de crime. Teorias
    • Conceito analítico de crime: Tipicidade
    • Excludentes de tipicidade
    • Conceito analítico de crime: Antijuridicidade/Ilicitude - Estado de Necessidade e Legítima Defesa
    • Conceito analítico de crime: Antijuridicidade/Ilicitude - Estrito Cumprimento do Dever Legal, Exercício Regular de um Direito e Consentimento do Ofendido
    • Conceito analítico de crime: Culpabilidade
    • Excludentes de culpabilidade: inimputabilidade
    • Excludentes de culpabilidade: Erro de proibição - Descriminantes putativas - Coação moral irresistível - Obediência hierárquica
    • Iter criminis - Consumação, tentativa
    • Iter criminis - Desistência voluntária, arrependimento eficaz, arrependimento posterior e crime impossível
    • Concurso de pessoas: Teorias - Requisitos - Conceito de autor
    • Concurso de pessoas: Participação - Desvio subjetivo de conduta - Circunstâncias incomunicáveis e outros temas
    • Concurso de crimes: Concurso material - Concurso formal e crime continuado
    • Concurso de crimes: Erro na execução - Resultado diverso do pretendido e outros assuntos
    • Introdução ao estudo das penas. Medidas de segurança
    • Pena privativa de liberdade
    • Pena restritiva de direitos
    • Pena de multa
    • Dosimetria da pena privativa de liberdade: Pena base (circunstâncias judiciais)
    • Dosimetria da pena privativa de liberdade: Pena intermediária (circunstâncias legais - agravantes e atenuantes) e pena definitiva (majorantes e minorantes)
    • Suspensão Condicional da Pena
    • Livramento Condicional
    • Causas extintivas da punibilidade e prazo prescricional
    • Prescrição
    • Crimes em espécie: dicas nos crimes contra a pessoa
    • Crimes em espécie: dicas nos crimes contra o patrimônio
    • Crimes em espécie: dicas nos crimes contra a dignidade sexual
    • Crimes em espécie: dicas nos crimes contra a paz pública e contra a fé pública
    • Crimes em espécie: dicas nos crimes contra a administração pública

    • Direito do Trabalho


    • Fontes do Direito do Trabalho
    • Princípios gerais do direito do trabalho
    • Relação de Trabalho X Relação de emprego
    • Proteção ao trabalho da mulher - Meio ambiente
    • Proteção ao trabalho da mulher - proteção a maternidade
    • Proteção ao trabalho do menor e contrato de aprendizagem
    • Empregador
    • Grupo Econômico e poderes do empregador
    • Contrato de Trabalho Intermitente
    • Contrato de teletrabalho
    • Terceirização
    • Contrato de trabalho - temporário
    • Contrato por prazo determinado
    • Contrato de Trabalho
    • Alteração Unilateral do Contrato de Trabalho
    • Suspensão do contrato de trabalho
    • Interrupção do contrato de trabalho
    • Férias
    • Salário e Remuneração - introdução
    • Salário e Remuneração - salário in natura
    • Salário e Remuneração - Parcelas que não possuem natureza salarial
    • Equiparação salarial
    • Jornada de Trabalho: duração de trabalho
    • Jornada de Trabalho: fiscalização da jornada
    • Jornada de Trabalho: horas extras
    • Jornada de Trabalho: intervalo intrajornada, descanso semanal remunerado e adicional noturno
    • Segurança e Medicina do trabalho: adicional de periculosidade e insalubridade
    • Segurança e Medicina do trabalho: adicional de periculosidade e insalubridade - aspectos gerais
    • Aviso Prévio e quitação anual
    • Extinção do Contrato de Trabalho - justa causa, mútuo acordo
    • Extinção do Contrato de Trabalho - justa causa, mútuo acordo
    • Extinção do contrato de trabalho - resc. Indireta, culpa recíproca, força maior e fato príncipe
    • Garantias provisórias no emprego - dirigente sindical, CIPA, S. 443 TST
    • Garantias provisórias no emprego e comissão de conciliação prévia
    • Prescrição e Decadência
    • Dano extrapatrimonial e trabalho intermitente
    • Direito Coletivo e Direito de Greve

    • Direito Tributário


    • Legislação Tributária. Tratados. Convênios
    • Hermenêutica do Direito Tributário: vigência, aplicação, interpretação e integração da lei tributária
    • Sistema Tributário Nacional: evolução, princípios e limites constitucionais impostos ao poder de tributar - Princípios e Limitações - Parte I
    • Princípios e Limitações - Princípio das Anterioridades Tributárias
    • Princípios e Limitações - Parte III - Outros Princípios
    • Benefícios Fiscais: imunidades
    • Isenção, suspensão, redução de alíquota, de base de cálculo e de aproveitamento de créditos, créditos presumidos, redução de prazos, isenção, anistia, moratória
    • Competência Tributária. Competência Residual da União
    • Espécies Tributárias: Impostos. Taxas. Contribuições de Melhoria
    • Espécies Tributárias: Empréstimos compulsórios, contribuições especiais, PIS, COFINS, CIDE, Contribuições de Categorias Profissionais
    • Distribuição de receitas tributárias. Prescrição e Decadência
    • Lançamento Tributário. Crédito Tributário: suspensão, exclusão, extinção
    • Responsabilidade Tributária e Substituição Tributária
    • Garantias e Privilégios do Crédito Tributário
    • Solidariedade Tributária, Ilícito e Planejamento Tributário, Impostos Aduaneiros, Adm. Tributária
    • Sigilo Legal: Fiscal, Profissional e Bancário. Certidões Negativas e CpeN
    • Execução Fiscal
    • Embargos à Execução e Exceção de Pré-Executividade
    • Comparações entre o ITCMD e o ITBI; Comparações entre o ICMS e o ISS

Curso preparatório OAB


Escolhida uma área, é importante procurar por um preparatório OAB para te ajudar nessa caminhada rumo à aprovação. Pois a cada edição o exame aumenta o nível de dificuldade. É necessário contar com a experiência de professores que conheçam não apenas o Exame de Ordem, mas também a organizadora das provas, a Fundação Getúlio Vargas (FGV).
É muito importante conhecer a equipe de professores, observar o currículo e a experiência de cada um deles. Saber também qual é a carga horária do curso e comparar com a sua disponibilidade até o dia da prova. Verifique também se há questões de exames anteriores. Afinal, essa é uma das melhores maneiras de testar seu conhecimento antes do grande dia do exame de ordem OAB.

quinta-feira, 4 de julho de 2019

Os 12 signos do zodíaco e suas características


12 signos do zodíaco, e cada sinal tem suas próprias forças e fraquezas, seus próprios traços específicos, desejos e atitude para com a vida e as pessoas. Analisando a projeção da posição dos planetas, e do sol e da Lua na eclíptica no momento do nascimento. A astrologia pode nos dar um vislumbre das características básicas de uma pessoa, preferências, falhas e medos.
Tornamos simples para você descobrir qual é o seu signo do zodíaco, o seu perfil completo e a sua compatibilidade com outros signos do zodíaco. 
Cada um dos 12 signos do horóscopo pertence a um dos quatro elementos – Ar, Fogo, Água e Terra. Estes elementos representam um tipo essencial de energia que atua em cada um de nós. A astrologia visa ajudar-nos a concentrar essas energias nos aspectos positivos e a obter uma melhor compreensão do nosso potencial e dos nossos traços positivos e lidar com os negativos.
Estes quatro elementos ajudam a descrever os tipos únicos de personalidade associados aos sinais astrológicos. Os quatro elementos do zodíaco exibem profunda influência em traços básicos de caráter, emoções, comportamento e pensamento.

Signos De Água

Os signos de água são excepcionalmente emocionais e ultra-sensíveis. São altamente intuitivos e podem ser tão misteriosos como o próprio oceano. Os sinais de água adoram conversas profundas e intimidade. Eles raramente fazem nada abertamente e estão sempre lá para apoiar seus entes queridos. Os signos de água são: Câncer, Escorpião e peixes.

Signos De Fogo

Os signos de fogo tendem a ser apaixonados, dinâmicos e temperamentais. Eles se irritam rapidamente, mas também perdoam facilmente. São aventureiros com imensa energia. Eles são fisicamente muito fortes e são uma fonte de inspiração para os outros. Os signos de fogo são pessoas inteligentes, auto-Conscientes, Criativas e idealistas, sempre prontas para a ação. Os signos de fogo são: Áries, Leão e Sagitário.

Signos Da Terra

Os signos da terra são "terra firme" e os que nos trazem para a terra. Eles são principalmente conservadores e realistas, mas também podem ser muito emocionais. Eles estão ligados à nossa realidade material e podem ser transformados em bens materiais. São práticos, leais e estáveis e mantêm-se fiéis ao seu povo nos tempos difíceis. Os signos da Terra são: Touro, Virgem e Capricórnio. 

Signos De Ar

Signos de ar são racionais, sociais e tem facilidade na comunicação e relacionamentos com outras pessoas. Eles são pensadores, amigáveis, intelectuais, comunicativos e analíticos. Eles adoram discussões filosóficas, encontros sociais e bons livros. Eles gostam de dar conselhos, mas também podem ser muito superficiais. Os sinais de ar são: Gêmeos, Libra e Aquário.

As datas dos signos e alterações existentes


Quais são as datas de zodíaco para cada signo de estrela? O seu signo do zodíaco, também conhecido como signo do sol, baseia-se numa série de datas que dura cerca de um mês. Se você nasceu com este intervalo de datas, você é um membro deste signo do zodíaco.
O zodíaco Tropical: signos de estrelas baseados em estações, não constelações.
Na astrologia ocidental, as datas dos signos das estrelas são calculadas usando o que é chamado de zodíaco Tropical, que é baseado nas estações do ano. Ele é calculado pelo caminho do sol contra o céu, chamado de eclíptica, enquanto ele viaja através de um círculo imaginário de 360 graus conhecido como o zodíaco.

No século II Alexandria, o grande matemático e astrólogo Ptolomeu criou o zodíaco Tropical. É um sistema fixo que não é afetado por mudanças nas constelações ou no eixo da Terra. Ptolomeu usou os mesmos nomes para os sinais do zodíaco como ele usou para as constelações, e é por isso que muitas vezes há confusão em torno do intervalo de datas de nascimento. O zodíaco Tropical é estático e não é afetado por mudanças no eixo da Terra. É baseado nas estações do ano.
O zodíaco Tropical começa todos os anos com a pseudo constelação de Aries—ou a fatia de Aries da roda do zodíaco—que é baseada na posição do sol no equinócio de primavera em 21 de Março. O sol entra em câncer no solstício de verão, o dia mais longo do ano. Entra em Libra no equinócio de outono, e entra em Capricórnio no solstício de inverno, ou no dia mais curto do ano.
O sol se move para um novo signo do zodíaco a cada 30 dias, aproximadamente na mesma data todos os anos. No entanto, ele pode mudar por um dia de ano para ano, e é por isso que temos o conceito de um aniversário diferente.
O mito da cúspide é que você está entre dois signos estelares, em vez de apenas um. Não está. Seja qual for o signo do zodíaco pelo qual o sol estava a viajar no momento do teu nascimento determina o teu signo de estrela. Para descobrir o seu signo exato do zodíaco, precisa de saber a que horas nasceu. Você pode fazer um gráfico livre aqui para descobrir qual é o seu signo de Sol real.
Ouvi dizer que havia novos signos do Zodíaco, ou um 13º sinal chamado Ophiucus? É verdade?
Periodicamente, os astrônomos apontaram para o fato de que o eixo da Terra oscilou e, portanto, a posição das constelações em relação a nós mudou. Eles estão certos sobre isso. No entanto, eles vão então anunciar que há realmente um 13º sinal, ou um novo sinal do zodíaco, chamado Ophiucus. Isso não é verdade.
Eis por que: a astrologia ocidental não é baseada nas posições reais das constelações. É calculado pela rotação da terra em torno do sol, usando um círculo fixo e imaginário (ou banda) em torno do sol que é dividido em 12 diferentes segmentos de 30 graus.

quarta-feira, 29 de maio de 2019

Posso fazer concurso em cidade ou estado diferente de onde eu moro?


A pergunta que serve de título para essa matéria é bastante comum, principalmente entre os concurseiros de primeira viagem. Muitas vezes instituições sediadas em cidades vizinhas ou até mesmo em outros estados realizam concursos públicos com excelentes oportunidades e você, que não reside nessa localidade específica fica se perguntando sobre a possibilidade de poder se inscrever.

fazer-concurso-em-outra-cidade


E a resposta é simples: claro que pode! Não existe nenhuma regra que proíba qualquer pessoa de prestar concurso público em outra cidade ou estado que não seja aquele onde mora. Os únicos impeditivos são aqueles que constam em edital, ou seja, não possuir a escolaridade ou titulação exigida para determinado cargo, não possuir idade ou altura mínima caso haja exigência, enfim.

Mas tenha sempre consciência de que, caso você opte em participar de um concurso em outra localidade, serão de sua inteira responsabilidade os custos com deslocamento, hospedagem e alimentação. A instituição que realiza o certame e a empresa que o organiza não são obrigados a custear nada ao candidato, seja ele do local onde será realizada a prova ou vindo de fora. Por isso a importância de se planejar.

Por falar em planejamento, é muito importante refletir, em caso de aprovação, se você irá se mudar para o município onde a vaga será lotada ou se viajará diariamente para trabalhar. No caso da primeira opção é importante ter uma reserva para sustentar o aluguel de uma casa e outras despesas. Se na mudança foram com você outros membros da família, a organização deve ser ainda maior. Já no caso de escolher ir e voltar de uma cidade para outra todos os dias, pense se de fato esse deslocamento não será muito cansativo, se compensará os gastos com combustível.

É inegável, muitas vezes os concursos publicados que oferecem as melhores oportunidades podem estar distantes de nós, mas se você tem o sonho de se tornar um servidor público, acredite, esse “sacrifício” de viajar para fazer a prova e, se tudo der certo, conquistar a aprovação, valerá muito a pena. Afinal de contas, dificilmente em qualquer empresa privada de sua cidade você poderá ganhar salários e benefícios como os oferecidos no funcionalismo público.

Se por acaso as oportunidades que você busca são em concursos previstos, melhor ainda. Assim você terá um tempo hábil razoável para poder se organizar, comprar as passagens com antecedência (e pagar preços bem mais baratos), consultar com calma onde ficará hospedado, buscar mais informações sobre a cidade e, principalmente, ter um período maior para se preparar.

Em resumo, a escolha de fazer ou não fazer um concurso público em cidade ou estado diferente do qual reside é única e exclusivamente sua. Nem o órgão que oferta as vagas, nem a banca responsável pela organização ou quem quer seja pode impedi-lo de participar. Pondere e, uma vez que decida, apenas você será responsável por essa conquista que com certeza virá, esteja ela perto ou um pouco mais longe de você.